Birra de criança: dicas para lidar com o problema

Birra de criança

Enquanto todos os pais tentam evitar ataques de birras de seus filhos, haverá momentos em que os pequenos simplesmente perdem a calma. Quando isso acontece com seu filho, não há muito que você possa fazer – ele simplesmente tem que respirar, mas você pode saber como lidar melhor com isso.

O primeiro passo é obter uma imagem do que desencadeia as birras dos seus filhos em particular. Os profissionais de saúde mental chamam isso de “avaliação funcional”, o que significa olhar para como e quando as situações da vida real parecem gerar crises de birras – especificamente, você deve observar o que acontece imediatamente antes, durante e depois dessas explosões, e que podem contribuir para que elas aconteçam de novo.

Às vezes, um olhar atento sobre o padrão das birras de uma criança revela um problema que precisa de atenção: uma experiência traumática, abuso ou negligência, ansiedade social, TDAH ou um transtorno de aprendizagem. Quando as crianças são propensas a terem um colapso em momento diferente daqueles típicos, muitas vezes isso pode ser um sintoma de angústia que elas estão lutando para gerenciar. Esse esforço se quebra em momentos que exigem uma autodisciplina que as crianças ainda não têm, e por isso os pais devem estar atentos a como lidar corretamente com seus filhos, perceber suas necessidades e perceber o que é apenas uma birra.

A maioria das crianças que sofrem com problemas frequentes fazem isso em situações muito previsíveis e circunscritas: quando é hora de fazer o dever de casa, hora de dormir, hora de parar de brincar, etc. O gatilho geralmente está sendo acionado ao fazer algo que é aversivo para eles ou para parar de fazer algo que é divertido para eles. Especialmente para as crianças que possuem TDAH, algo que não estimula sua energia e exige que elas controlem sua atividade física, como uma longa viagem de carro, ir à igreja ou visitar um parente idoso, por exemplo, é um gatilho comum para essas birras.

O comportamento aprendido

Uma vez que os pais muitas vezes acham as birras de criança praticamente impossíveis de se tolerar -especialmente em público – a criança pode aprender implicitamente que fazer uma birra pode ajudá-la a conseguir o que quer, e a birra se torna uma resposta condicionada. Mesmo que você só faça o que seu filho quer 3 em cada 10 vezes que ele faz uma birra, esse reforço intermitente torna um comportamento aprendido muito sólido, e então as crianças vão continuar com esse comportamento para conseguir o que elas querem.

Respondendo bem às birras

Quando as birras ocorrem, a resposta dos pais ou do responsável afeta a probabilidade de o comportamento acontecer novamente. Existem muitos protocolos específicos para ajudar os pais a responder consistentemente, de forma a minimizar o comportamento de birra mais tarde.

Esses protocolos vão desde abordagens e soluções colaborativas e proativas, até programas de treinamento de pais por etapas, como terapia de interação para pais e filhos e treinamento de gerenciamento de pais. O que essas abordagens têm em comum é o ponto de partida para que os pais resistam à tentação de acabar com a birra, dando à criança o que ela quer quando ela começa a birra.

Para birras que não representam algo a mais no comportamento do seu filho, seu objetivo é ignorar o comportamento, retirando toda a atenção da criança, já que até a atenção negativa como repreender ou tentar persuadir a criança a parar é considerada como algo que reforça esse comportamento.

Alguns conselhos sobre como lidar com birra de criança

  1. Mantenha-se tranquilo (a) e lide com a birra o mais calmamente possível: Lembre-se, você é o modelo para o seu filho para lidar com a raiva. Embora seja tentador gritar ou dar um sermão em seu filho, é aconselhável aos pais adotar uma abordagem curta e grossa, onde você indica para a criança sua posição com calma, de maneira direta e passe a ignorá-la depois disso.
  2. Afaste-se da criança quando ela está fazendo uma birra: Se você não se sentir confortável deixando o local, continue perto, mas continue ocupado. Não faça contato visual ou comece a discutir com seu filho. Se ela vê que a birra não está afetando você, ela provavelmente irá parar.
  3. Quando seu filho estiver fazendo birra em público, pegue-o e leve-o calmamente para um lugar seguro: Leve-o ao seu carro ou a um banheiro público, mas tenha cuidado para não reagir exageradamente ou criticar seu filho, porque você está envergonhado. Uma vez que você está em um lugar mais silencioso, explique com calma sua posição e tente ignorar a birra até parar. Às vezes, apenas tocar ou acariciar uma criança a acalmará. Se o seu filho continuar a gritar e fazer birra, coloque-o com segurança no banco do carro e vá para casa.
  4. Fale em tons suaves: Se o seu filho começa a fazer uma birra em um lugar que você simplesmente não pode sair (como um avião), fale com ele num tom silencioso. Se isso ajuda a mantê-lo calmo, repita a mesma frase uma e outra vez.
  5. Não tente raciocinar com uma criança que está tendo uma birra: Seu filho está tão emocionalmente fora de controle que isso não vai funcionar, então não adianta discutir.
  6. Use humor ou distração para fazer com que seu filho pare de fazer uma birra. Faça uma cara engraçada ou aponte algo interessante para tirar a atenção do seu filho da fonte de frustração.
  7. Não ignore ações agressivas: Se o seu filho está se comportando de forma agressiva durante uma birra – como chutar, bater, morder, jogar ou quebrar coisas – tome uma atitude. Se possível, remova seu filho da fonte de sua raiva e segure-o ou dê-lhe algum tempo sozinho para se acalmar e recuperar o controle. Para crianças com idade suficiente para entender, um tempo sozinho pode ser efetivo.

Muitas crianças simplesmente parecem terminar uma birra tão rápido e inexplicavelmente quanto elas começaram. Uma vez que a birra acabou, vá até o seu filho, dê um abraço e um beijo, dizendo-lhe que você o ama, e siga em frente. Se você permanecer irritada isso só fará com que a criança se sinta mal, e pode até fazer com que a birra seja iniciada de novo.

Se você quiser ter uma discussão sobre isso com seu filho de 3 ou 4 anos, fale sobre a birra várias horas após ela ter terminado. Peça a seu filho para dizer o que desencadeou sua explosão e isso ajudará você a pensar em estratégias de resolução de problemas no futuro.

Posts Relacionados:

Leave a Reply